Atrofia Óssea Bucal – Prevenção Saúde

Troca de informações e conhecimentos atualizados sobre temas relevantes da Implantodontia


A campanha de prevenção desenvolvida pela APIO – Associação Paulista de Implantologia Oral – lançada e discutida no I Fórum APIO de Atrofia Óssea Bucal, em maio do ano passado – ganha sinergia entre os profissionais do segmento de Implantodontia e começa a delinear suas primeiras ações.

Dente Ausente, Doença Presente. Com este slogan, a Campanha de Prevenção da Atrofia Óssea Bucal pretende contornar um grave problema de saúde pública no Brasil, que atinge quase 70% da população acima de 45 anos e cerca de 64% dos indivíduos entre 65 e 74 anos.

Esses resultados são apontados em todas as classes econômicas, revelando a necessidade da difusão de informações preventivas como uma das formas mais efetivas de contribuir para a reabilitação oral.
“O trabalho de conscientização da população tem que seguir os mesmos moldes adotados nas campanhas de prevenção da cárie dental. Informar sobre os graves problemas originados pela atrofia óssea progressiva e suas graves conseqüências para a saúde bucal é um processo que deve caminhar gradativa e ininterruptamente”, avalia Aziz Constantino, presidente da APIO.

A Campanha de Prevenção da Atrofia Óssea Bucal tem obtido apoio irrestrito das principais entidades da Odontologia, profissionais do segmento de Implantodontia – professores, especialistas e empresários de suprimentos do setor – além de formadores de opinião.

Consciência e engajamento

Dividida em etapas distintas, a proposta da campanha é criar o respaldo científico e o apoio político necessário a um programa de saúde pública. “A questão fundamental em iniciativas como essa é viabilizar ações para informar a população”, observa o professor Aziz. E são vários os caminhos a trilhar: captação de recursos – via apoio do governo -, consciência e engajamento da classe odontológica e dos setores produtivos e de implantes.

Na primeira etapa, o foco é obter apoio político. Na segunda, divulgar os conceitos e a importância da prevenção para a classe odontológica. Só então, na terceira e última etapa, é que a campanha será disseminada junto ao público, com ação direta da mídia e de cada cirurgião-dentista, como agente efetivo na difusão das informações e conceitos que envolvem o problema.

Com a divulgação da campanha, delineia-se um poderoso mecanismo de informação para educar a população. “É preciso criar uma nova mentalidade nos pacientes que imaginam a perda dos dentes como um final de linha. Apontar os implantes odontológicos como um caminho para a prevenção da reabsorção óssea é um importante desafio para a classe odontológica”, pondera o presidente da APIO. Afinal, a eficácia dos implantes na interrupção da reabsorção óssea por desuso é comprovada cientificamente como a única forma existente de combater esse processo em desdentados.

Segundo Aziz Constantino, estima-se que haja total sinergia entre os diversos setores da Odontologia e múltipla participação dos profissionais engajados. Essa cadeia produtiva permitirá que a campanha se desenvolva e se propague, com a força necessária a uma campanha de saúde pública tão importante quanto a de Prevenção da Atrofia Óssea Bucal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *